5/7/15

Antonio Gramsci e a tradução do marxismo na Índia – Um estudo sobre os Subaltern Studies

Camila Massaro de Góes   |   Esse artigo possui o objetivo de apresentar os resultados de um estudo exploratório sobre a apropriação do pensamento político e social de Antonio Gramsci no âmbito dos chamados Subaltern Studies, destacando os trabalhos de Dipesh Chakrabarty, Gyanendra Pandey, Partha Chatterjee, Ranajit Guha e Gayatri Chakravorty Spivak. Por meio desse estudo pretendeu-se identificar as formas de tradução do pensamento gramsciano e, principalmente, dos conceitos de hegemonia e subalterno pelos Subaltern Studies e individualizar a contribuição específica destes para a compreensão dos processos de constituição de uma direção político-cultural na sociedade
Introdução
A obra gramsciana provê um modo de entender a cultura, na sua relação com o poder, as classes sociais, a ideologia e principalmente com a hegemonia, que possibilita uma singular e constitutiva capacidade de adaptação e tradução para aqueles que se baseiam em seu conteúdo, apropriando-se de suas noções ao analisar situações muito diversas daquelas nas quais o marxista sardo conheceu e viveu (BARATTA, 2009, p. 17).