19/9/14

Gramsci e a Teoria Crítica das Relações Internacionais

Rodrigo Duarte Fernandes dos Passos   |   O objetivo dessa comunicação é esboçar uma discussão sobre as eventuais relações epistemológicas do pensamento carcerário de Antonio Gramsci com uma vertente teórica das  Relações Internacionais conhecida como Teoria Crítica. Tal denominação tornou-se gradativamente um rótulo eclético que designa diferentes abordagens teóricas das relações internacionais. Por vezes, o rótulo referido abriga enfoques associados a abordagens distintas da tradição marxista. Contempla autores distintos entre si classificados como neogramscianos, cosmopolitas, habermasianos, foucaultianos, construtivistas, feministas, pós-modernos.

Antes de se alcançar nessa vertente tão ampla gamade autores e perspectivas, destaca-se o pioneirismo de seus fundamentos sistematizados pelo cientista político canadense Robert W. Cox em 1981 2 no contexto do que a literatura internacionalista  chama de “Terceiro Debate” 3. Em seu construto teórico, o pensamento de Antonio Gramsci (1891-1937) ocupa um papel de relevo. Salienta-se também que comentadores 4 incluem as influências dos filósofos frankfurtianos sobre  essa perspectiva.